domingo, 29 de outubro de 2017

Querida Esperança

Faz tanto tempo, amada Esperança, 
Que minha alma a procura também,
 Tamanha é a nossa semelhança,
Que com perseverança se obtém.
*
Ainda agora, veja o exemplo,
Eu que gosto de coisas simples e singelas,
Entrou-me a Esperança pelo quarto a dentro,
Jorrou-me flores pelas janelas.

Tenho como certo que o nosso destino,
É bordado com as nossas mãos,
Em algodão fino de linho.
*
Mas o tempo torna os planos em trapos,
A Esperança fica em farrapos,
E a vida em desalinho.
**
Cristina Ivens Duarte-29/10/2017






Sem comentários: